Saúde Emocional: Aluno e Família - Colégio Canópus Caraguatatuba

Impacto do momento atual na saúde emocional dos alunos 

Esse cenário de indefinições que estamos vivendo acaba causando muita apreensão nos jovens. A preparação para os vestibulares, por exemplo, é um processo que requer tempo. A incerteza que isso gera acaba abalando ainda mais suas emoções. Além disso, é provável que o ano de preparo acabe se tornando ainda mais longo. 

A mudança da escola para um ambiente on-line, com videoaulas e avaliações remotas, também teve um grande impacto. Os alunos passaram a ser responsáveis por seus estudos, exigindo mais esforços para manter uma rotina e acompanhar os ensinamentos dos professores. 

Também deve se tomar muito cuidado com o retorno às aulas presenciais. É normal que esse momento provoque dúvidas e medo nos estudantes, que podem não entender que as coisas não serão como eram antes. Por isso, é muito importante escutar os jovens para entender as dificuldades e anseios que eles podem estar passando. 

Além disso, o isolamento social fez com que crianças e adolescentes passassem muito mais tempo em suas casas. O excesso de convivência familiar pode facilitar o desgaste das relações e gerar conflitos. Muitas famílias ainda estão passando por dificuldades financeiras, causando ainda mais tensão nos jovens. 

Essa conjuntura de fatores pode facilmente desencadear quadros de estresse e até depressão nas crianças e adolescentes, e a escola deve estar ciente de que muitos alunos podem manifestar esses sentimentos. 

Como a escola pode orientar os jovens a navegarem por essa fase?

Um dos pontos mais importantes é incentivar os alunos a viverem o presente. É importante ajudá-los a entender o que pode ser feito agora para que eles alcancem os seus objetivos no futuro. 

Além disso, muitas ações e atividades podem ser realizadas pela escola, mesmo que remotamente. Yoga, meditação e rodas de conversas são alguns dos caminhos mais comuns, e os orientadores também podem organizar grupos de apoio entre os estudantes. 

Os estudantes não sabem o que os esperam, por isso, a escola deve estar aberta a escutar os jovens, para assim entender seus medos e oferecer a ajuda necessária. 

E o retorno às aulas presenciais?

É verdade que os alunos precisarão de muito apoio para a volta às aulas na escola. Os diversos protocolos para um retorno seguro, por exemplo, podem causar uma série de desconfortos. A escola deve tomar uma postura acolhedora, não apenas repreender. É necessário explicar para os jovens o porquê dessas medidas e os impactos que elas trazem. 

A instituição também deve ser muito transparente com a família e deixar claro as limitações dos protocolos de segurança. É importante manter uma comunicação constante e sempre mostrar quais são as dificuldades, caminhos e desafios. Os protocolos de segurança terão de ser revistos a todo tempo, e é imprescindível que as decisões sejam tomadas em conjunto por toda a comunidade escolar. Mostrar as medidas de segurança que estão sendo tomadas tende a diminuir a ansiedade e amenizar o medo das famílias, passando uma sensação de cuidado com todos.

Fonte: Poliedro Sistema de Ensino

Tags
Achou útil? Então compartilhe!

Publicações Relacionadas